Diagnóstico para a Doença Celíaca

Diagnóstico para a Doença Celíaca

Sintomas x Diagnóstico


 



 


O diagnóstico da doença celíaca é fácil ou difícil de fazer? Leia atentamente o artigo e descubra a resposta correta.


Os sintomas da doença celíaca podem ser vagos e ainda imitar muitas outras características de doença, o diagnóstico pode não ser lembrado ou perdido. Os sintomas podem ser confundidos com as seguintes condições: síndrome do intestino irritável, doença inflamatória do intestino, diverticulite, anemia por deficiência de ferro provocada pela perda de sangue menstrual, infecções intestinais e síndrome de fadiga crônica e outras tantas. Além disso, os testes de exame de sangue para a doença celíaca podem ser normais, mesmo que a pessoa tenha a doença.


Algumas pessoas têm sintomas leves ou nenhum, o que resulta em um atraso na procura de cuidados médicos e de diagnóstico. Apesar disso, os profissionais da área da saúde estão cada vez mais conscientes da doença celíaca, logo, os as taxas de diagnóstico estão melhorando.


Se durante a gravidez apresentar alguns sintomas é imprescindível que a doença seja diagnosticada para evitar que prejudique o desenvolvimento do feto. A incapacidade de diagnosticar a doença celíaca esta ligada a resultados fetais adversos.


Diagnóstico


 



 


Há uma dificuldade efetiva no diagnóstico de algumas doenças digestivas crônicas como úlcera péptica, câncer de cólon, síndrome do intestino irritável. Outras possibilidades, que geralmente não aceita, incluem a doença de Crohn, colite ulcerativa, apendicite crônica, doença celíaca, síndrome carcinoide, gastroparesia, entre outros.


A doença celíaca é rara em asiáticos, negros, populações do Mediterrâneo e, por isso, essas populações geralmente ficam sem diagnóstico, mesmo quando apresentam sintomas.


A dificuldade em diagnosticar a doença celíaca pode resultar em úlceras que podem causar sangramentos chegando até em perfurações, o que leva a problemas mais graves.


Os sintomas são geralmente menos graves durante a adolescência, dificultando o diagnóstico nesta fase da vida. Pessoas que não apresentam sintomas dificilmente são diagnosticadas, apesar de enfrentarem riscos associados à desnutrição, anemia, baixo crescimento e perda de peso.

Um diagnóstico tardio pode resultar em sintomas irreversíveis, como retardo de crescimento ou dentes escurecidos e se não for diagnosticada poderá aumentar risco de doenças autoimune, como por exemplo a diabete.


Doença celíaca não diagnosticada ou ainda não tratada leva a má absorção e má digestão, que podem resultar em complicações, tais como: desnutrição, osteopenia e sintomas neurológicos, como convulsões, bem como levar a um fraco crescimento em razão da falta de nutriente, aumentando o risco de má formações de nascimento e de abortos em gestantes.


Em alguns casos a doença celíaca não pode ser diagnosticada até a meia idade ou mesmo até mais tarde na vida. Os sintomas podem ser manifestar durante a infância, por vezes sendo amenizados na adolescência e, em seguida, agravados novamente mais tarde, na vida adulta. Assim, é importante avaliar o histórico de saúde desde a infância. Ademais, a falta de diagnóstico e tratamento aumenta o risco de desenvolvimento de adenocarcinoma e linfoma gastrointestinal. Quanto mais danificado o intestino, mais difícil é o processo de recuperação.


 


Crianças com Diabetes Precisam de Diagnóstico?


 



 


Muitas crianças diabéticas que possivelmente são celíacas não são diagnosticadas, pois a doença celíaca é muitas vezes assintomática nessas crianças. Alguns profissionais da área entendem que é importante realizar exames de diagnóstico de doença celíaca em crianças diabéticas para evitar complicações irreversíveis. O fraco crescimento de crianças diabéticas que também são celíacas é muitas vezes atribuído à falta de controle glicêmico.


Também são importantes fazer exames para o diagnóstico de doença celíaca em pacientes que têm histórico familiar  de doença celíaca, doenças de tireóide, diabetes tipo I, síndrome do intestino irritável, anemia, diarreia crônica, fadiga crônica, perda de peso inexplicável, epilepsia, infertilidade, baixa estatura ou aumento de níveis de transaminases sem razão aparente.


A Idade e o Diagnóstico


 



 


Alguns estudos indicam que a idade do aparecimento de sintomas é determinada pela força dos fatores genéticos envolvidos. Os sintomas em um paciente não diagnosticado pode ser desencadeado por estresse físico ou emocional, em casa, no trabalho, ou mesmo por doença e gravidez.

Adultos que desenvolvem sintomas celíacos tendem a assumir que tais sintomas acontecem devido ao estresse ou à intolerância aos produtos lácteos e não procuram atendimento médico.

Entre os especialistas há uma discordância sobre se uma biópsia negativa comprova definitivamente a ausência de doença celíaca em pacientes que sofrem de sintomas gastrointestinais. Apresentando uma melhora com a dieta livre de glúten, o diagnóstico pode ser de sensibilidade ao glúten.

De todo modo, a procura por um especialista que tenha experiência ou conheça os procedimentos necessários à investigação desse tipo de doença é o mais indicado.

E aí, você gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas.


Envie seu comentário

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE