O que é Doença Celíaca

O que é Doença Celíaca

O que é Doença Celíaca


Primeira descrição da Doença Celíaca



 


Após o advento da agricultura e da necessidade da modificação genética da semente, milhares de anos após crianças aparentemente bem alimentadas apresentavam estar subnutridas, um dos sintomas da conhecida Doença Celíaca. Assim o médico da Grécia Antiga Dr. Areateus da Capadócia resolveu pesquisar essas condições, relatando a primeira descrição científica, chamando-a de koiliakos que em grego é abdome.


Primeiro Conceito de Doença Celíaca


Foi o pediatra britânico Dr. Samuel Gee, quem detalhou e conceituou pela primeira vez a doença celíaca, o doutor acreditava que era uma doença rara e que atingia apenas crianças entre 1 a 5 anos de idade, isto porque os pacientes se recuperavam ou morriam, razão pela qual não se pesquisava a doença em adultos. Esse pensamento perdurou por mais de um século.


 


A descoberta da Doença Celíaca


 



 


Após a Segunda Guerra Mundial o médico pediatra holandês Dr. Willem Karle Dicke fez buscas corajosas sobre a doença celíaca ao ser questionado por uma mãe de um paciente que sugeriu o problema com o pão. Dr. Dicke pesquisou o índice de mortalidade das crianças antes e depois da Segunda Guerra Mundial na Holanda e o resultado foi que: o racionamento do pão da Holanda em razão da guerra provocou uma queda consideravelmente significativa nos índices de mortalidade entre as crianças afetadas pela doença celíaca, mais de 35% (trinta e cinco por cento) a praticamente 0% (zero por cento), entretanto, após a guerra o pão da Holanda voltou a estar disponível e os índices de mortalidade das crianças retornaram aos níveis anteriores. Essa pesquisa foi levada a uma conferência em Nova York de gastrenterologista, onde o Dr. Dicke foi ridicularizado.


Porém, muitos pesquisadores ficaram intrigados com a descoberta do Dr. Dicke e iniciaram investigações sobre os componentes do trigo e constataram que a principal proteína naquele grão era o glúten, assim culparam o glúten pela doença celíaca. A confirmação veio com exames de biopsias intestinais em pessoas que tinham a doença celíaca, pois constataram que a exposição repetida do glúten em pessoas que tinham doença celíaca tirava as vilosidades do intestino, tornando-as cronicamente inflamadas e danificadas, incapazes de executar sua função normal.


Não há uma data certa da descoberta do doutor Dicke, mas as evidências apontam que os primeiros estudos realizados foram em 1936. A discussão glúten/doença celíaca permeou até 1964, mas infelizmente algumas questões não foram levantadas e ainda estão no esquecimento.


Tanto é verdade que muitos dermatologistas continuam a tratar a manifestação epidérmica da doença celíaca, chamada dermatite herpetiforme, com prescrição de medicações com esteroides ou dapsona em vez de requerer exames que apresentam a causa da doença, para ao fim realizar tratamentos adequados ao paciente como por exemplo recomendar uma dieta livre de glúten. Esses remédios vão tratar os distúrbios da doença de pele, mas não a causa efetivamente.


O Que o Paciente Celíaco Entende


 



 


Nós discordamos veemente desse posicionamento, pois sabemos que a doença celíaca não tratada adequadamente leva a pessoa a desencadear inúmeras doenças, e por consequência a morte. A pessoa que tem a doença celíaca não morre de doença celíaca, mas sim de qualquer outra doença que é desencadeada pela doença celíaca, como por exemplo câncer de peritônio.


As evidências trazidas no decorrer desse livro farão com que você leitor conheça, respeite e entenda a doença celíaca e ainda lhe ensinará a melhor maneira de se viver, vivendo de uma forma saudável e livre de qualquer alergia alimentar.


Voltar a Home


Envie seu comentário

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE