O site da Blog- Viva Sem Glúten utiliza cookies. Saiba mais sobre nossas Políticas de Cookies clicando aqui. Ao navegar você concorda com a sua utilização.
Saiba mais sobre os cookies em nossa Advertência Jurídica e Políticas de Privacidade

Tipos de Doença Celíaca

Tipos de Doença Celíaca

Tipos de Doença Celíaca

As pessoas pensam que há apenas um tipo de doença celíaca, aquela que causa sintomas fortes e que definha a pessoa. Será que elas estão certas? Vamos ver.

Existe muitas informações colhidas de pesquisas que mostram que a sensibilidade ao glúten apresenta as mesmas manifestações, essas informações também servem para facilitar o entendimento sobre esse assunto.

Entretanto, após as pesquisas você pode acabar relacionando todas as doenças já existentes com a doença celíaca, esse acontecimento é muito perigoso, pois pode se pensar que todos são portadores da doença celíaca.

Ante tal razão, é necessário que você receba as informações de forma mais adequada possível, para não cair nessa armadilha, bem como saber identificar os diferentes tipos de sensibilidade ao glúten relacionados a doença celíaca.

As doenças celíacas abordadas serão: a doença celíaca clássica, doença celíaca atípica, doença celíaca silenciosa ou assintomática e doença celíaca latente.

Doença celíaca clássica é aquela que apresenta sintomas característicos da doença celíaca como: palidez, diarreia crônica com odor insuportável, gases com mau cheiro, abdome distendido, cólica abdominal, fraqueza, má nutrição, febre baixa, déficit de crescimento, anemia não curável, falta de apetite, emagrecimento rápido, pernas e braços finos, entre outros. É o tipo mais familiar aos profissionais da saúde que muitas vezes se limitam a apenas esse tipo de doença celíaca. Essas manifestações são exceções e não a regra dos pacientes celíacos.

Geralmente ocorre em crianças de 1 a 3 anos de vida, justamente no período que se introduz o alimento normal a criança como macarrão, pão, bolachas, cereais e outros alimentos industrializados.

É necessário todo acompanhamento médico de nutricionista funcional, clínico geral e de gastroenterologista, as consultas devem ser frequentes, bem como os exames de nutrientes.

Doença celíaca atípica apresenta apenas um sintoma ou sintomas que não estão relacionados com a doença celíaca. Os sintomas podem ser por exemplo cavidades pulmonares que põem a vida em risco, dores de cabeça insuportáveis que nunca passam, casos graves de artrite reumatoide, irritabilidade, fadiga, baixo ganho de peso, mancha e alteração no esmalte dental, entre outros. Nesse caso é difícil o médico diagnosticar a doença celíaca, devido aos sintomas não serem específicos apenas da doença celíaca e porque as alterações intestinais não chamam tanta atenção.

Na verdade, jamais pode se descartar a doença celíaca sem os exames específicos e minuciosos, mesmo que a suspeita seja muito pequena. Mesmo quando se desconfia da doença celíaca pode se enganar se pensar apenas nos sintomas clássicos.

Doença celíaca silenciosa ou assintomática não apresenta sintomas, é clinicamente silenciosa, a busca frenética pelos sintomas deixará passar qualquer caso de doença celíaca silenciosa. No entanto não se deve esquecer que a maioria das pessoas com doença celíaca não apresentam sintomas, vem a descobrir por meio de uma biopsia intestinal que é realizada para encontrar alguma bactéria no organismo, a descoberta acontece porque o intestina já esta com problemas inflamatórios.

Não se pode pensar que pela ausência de sintomas não se precisa fazer a dieta livre de glúten, pelo contrário, a necessidade de se fazer uma dieta livre de glúten é sempre obrigatória e não opcional, até porque como muito se discuti o primeiro sintoma de um paciente com doença celíaca assintomática é o câncer.

O risco de malignidade nos pacientes celíacos assintomáticos pode ser maior que nos pacientes celíacos clássicos, devido à dificuldade de se requerer exames para diagnosticar a doença em si. Perdendo-se a oportunidade de evitar o risco de câncer.

Doença celíaca latente é uma dormência muito perigosa que já se reconhece na doença celíaca, em muitos casos se desconfia da doença celíaca no paciente, mas ao fazer exame com biopsia o resultado é negativo em contrapartida o exame de sangue da positivo. Esse fato geralmente ocorre em parentes de 1 (um) grau de celíacos ou diabéticos insulinodependentes recentemente diagnosticados. Isto ocorre porque a lesão do intestino sofre alterações, e os sintomas aumentam e diminuem automaticamente, então para a biopsia dar positiva o lapso temporal seria de 6 (seis) meses a 3 (três) anos mais tarde.

Essa situação reforça a ideia de que o paciente com exame de sangue positivo e biopsia negativa deve fazer a dieta livre de glúten, pois é um celíaco em potencial.

Diagnóstico

Os médicos e pacientes devem entender que o diagnóstico efetivo da doença celíaca só poderá ser efetivamente considerado após a realização conjunta de dois exames: exames de sangue com o exame de endoscopia com biópsia.

Todo celíaco deve sempre lembrar que os exames de sangue e biopsia devem ser feitos periodicamente, e ter o acompanhamento de médicos como clinico geral, nutricionista funcional, gastroenterologista, dermatologista, neurologista e outros em casos mais específicos.

E aí, você gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas.

Voltar para a Home.

Envie seu comentário

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE