Tudo Sobre a Vacina Para a Doença Celíaca

Tudo Sobre a Vacina Para a Doença Celíaca

Tudo Sobre a Vacina Para a Doença Celíaca


A Descoberta


 



 


Descobri que tenho a doença celíaca há 4 anos e desde então ouço muito sobre a vacina que estão criando para auxiliar o paciente que sofre com a Doença Celíaca.


A notícia mais recente é que os pesquisadores australianos conseguiram identificar 3 substâncias entre os 3 mil existente no glúten responsáveis pela resposta autoimune do organismo do paciente celíaco desencadeada pela ingestão ou contato do glúten. A descoberta dessa substância chamada de “peptídeos” deverá facilitar o desenvolvimento da tão sonhada vacina que tem o intuito de minimizar a reação ao glúten nos pacientes celíacos.


Como Aconteceu a Descoberta


As substâncias foram descobertas pelos pesquisadores australianos Dr. Bob Anderson do Walter e Eliza Municipal do Instituto divisão de Imunologia.


Para chegar a esse resultado foi necessário estudar mais de 200 pacientes celíaco. Durante a pesquisa foi solicitado que se consumissem pequenas porções de alimentos de trigo, cevada e centeio. Após seis dias do consumo, foi coletado amostras de sangue desses pacientes que foram testadas para verificar a reação imunológica há milhares de peptídeos presentes no glúten.


A ideia era determinar qual ou quais fragmentos do glúten que causa o efeito tóxico nos portadores da Doença celíaca.


 


Resultado


 



 


De todos os milhares de peptídeos analisados, apenas 90 deles causaram algum tipo de reação alérgica nos 200 pacientes celíacos. Porém, dentre os 90 peptídeos apenas 3 desencadearam reações imunológicas muito severas.


Com esse resultado o Dr. Bob Anderson, responsável pela pesquisa afirma que esses 3 peptídeos presentes no glúten são os responsáveis pela maioria das reações imunológicas que acontecem no organismo das pessoa que tem a Doença Celíaca.


 


A Vacina


 



 


A vacina está sendo desenvolvida pela empresa de biotecnologia ImmusanT, da qual o Dr. Anderson é diretor científico e médico. Os primeiros resultados foram apresentados em um evento médico, em Chicago, Illinois nos EUA. A “Nexvax2’’ visa reduzir a sensibilidade dos pacientes para os 3 peptídeos específicos do glúten que foram identificados.


A descoberta é muito esperançosa, mas ainda vale lembrar que é necessária muita paciência até que efetivamente este tratamento esteja disponível. Até lá temos que continuar nos cuidando, fazendo a dieta livre de glúten de forma rigorosa e permanente.


Fonte: Acelbra de Minas Gerais


Voltar a Home


Envie seu comentário

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE